No penúltimo dia de treinamento intensivo no Lago de Furnas, a Tropa Anfíbia da Marinha do Brasil mostrou sua tenacidade e habilidade ao navegar pelo terreno desafiador que circunda o “Mar de Minas”. A equipe de elite se concentrou em aprimorar suas habilidades em orientação e navegação terrestre, transpondo áreas de difícil acesso e preparando-se para enfrentar qualquer desafio.

blankDetalhes do exercício

Ao longo de aproximadamente 15 km de terreno diversificado, os membros da Tropa Anfíbia passaram por montanhas íngremes, terrenos alagados e paredões que exigiam a execução de rapel. As peculiaridades das formações rochosas da região proporcionaram um cenário natural deslumbrante e desafiador para o adestramento.

A importância do treinamento

O treinamento rigoroso é uma parte essencial da preparação dos militares da Marinha para missões futuras. Através dessas experiências, a Tropa Anfíbia é capaz de aprimorar as habilidades essenciais necessárias para operações de resgate, operações militares, ou missões de paz em terrenos difíceis.

Com a conclusão do penúltimo dia de treinamento no Mar de Minas, a Tropa Anfíbia da Marinha do Brasil reafirmou sua determinação e competência. A equipe continuará a aprimorar suas habilidades e preparar-se para servir e proteger o Brasil em quaisquer circunstâncias, provando que o treinamento nunca para.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).