A Marinha do Brasil, em um movimento histórico para a inclusão feminina, abre as portas para mulheres no Concurso Público de Admissão ao Curso de Formação de Soldado Fuzileiro Naval. Até o momento, mais de 5 mil mulheres se inscreveram para a segunda edição do concurso que aceita candidatas femininas, um marco significativo que reflete a crescente busca por igualdade de gênero nas forças armadas. Com um total de mais de 19 mil candidatos inscritos, o certame evidencia um interesse crescente pelo serviço militar entre as mulheres brasileiras.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Detalhes do Concurso e Requisitos

As inscrições para o concurso estão abertas até o dia 16 de fevereiro e podem ser realizadas através do site oficial (https://www.inscricao.marinha.mil.br/marinhafn/index_concursos.jsp?id_concurso=75). São 240 vagas exclusivamente para mulheres, refletindo o compromisso da Marinha com a diversidade e inclusão. Os requisitos incluem ter entre 18 e menos de 22 anos de idade até 30 de junho de 2025 e possuir ensino médio completo. O processo seletivo envolve exames de escolaridade em Português e Matemática, seguidos de verificações de dados biográficos, avaliação psicológica, inspeção de saúde e teste de aptidão física.

Curso de Formação e Perspectivas Futuras

O curso de formação, com duração aproximada de dezessete semanas, será realizado no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (CIAMPA), no Rio de Janeiro, e no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (CIAB). O regime será de internato e dedicação exclusiva, onde os alunos passarão por uma rotina intensa de exercícios físicos, respeitando a disciplina e hierarquia militar. Os aprovados serão nomeados Soldados Fuzileiros Navais, incorporados à Marinha do Brasil, e farão jus às prerrogativas da carreira militar.

Primeira Turma de Mulheres Soldados Fuzileiros Navais

A primeira turma de mulheres Soldados Fuzileiros Navais, parte da Turma I/2024, inicia seu período de adaptação em 19 de fevereiro. Entre os 720 jovens aprovados, 120 são mulheres, marcando um momento histórico na inclusão feminina nas forças armadas. Durante o período de adaptação, os Aprendizes-Fuzileiros Navais receberão instrução sobre a doutrina militar, se familiarizarão com os pilares da carreira militar, e iniciarão o curso de formação com atividades instrucionais.

Este marco na Marinha do Brasil simboliza um avanço significativo na busca pela igualdade de gênero nas forças armadas e reforça o compromisso do país com a diversidade e a inclusão em todos os setores da sociedade.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).