blank
Bolsistas do PARAPROLIM posam ao lado de Álvaro Pires e César Ferreira, Consultores de Dirigente da Presidência da CAIXA, e do atleta Herbert Conceição, durante o Festival PARAPROLIM

Google News

Em meio a diversas conquistas recentes, o PARAPROLIM, Projeto Paralímpico da Marinha, que tem patrocínio das Loterias CAIXA, completa seu primeiro ano de existência.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

Ao longo destes doze meses, foram muitos treinos, competições, medalhas, homenagens… O Projeto esteve presente até mesmo nos Jogos Paralímpicos em Tóquio. Tayana Medeiros, do Halterofilismo, fez história ao atingir a marca de 121kg levantados, a melhor de sua carreira, que rendeu o quinto lugar na competição.

Além disso, durante todo o ano, o Projeto também realizou uma ação social, com distribuição de cestas básicas para a Associação Beneficente Padre Navarro, localizada em Benfica, bairro da zona norte do Rio de Janeiro.

Personalidades importantes também visitaram o PARAPROLIM e demonstraram seu apoio ao esporte paralímpico, como o governador Cláudio Castro, o presidente Jair Bolsonaro, o presidente da CAIXA Pedro Guimarães, os atletas Lars Grael e José Aldo Jr., entre outros.

O PARAPROLIM já atende mais de 100 atletas nas modalidades Natação, Atletismo, Halterofilismo e Tiro Esportivo. Destes, cinco são bolsistas. Dayane Silva é uma delas e conta que o Projeto trouxe grandes mudanças em sua vida.

– O PARAPROLIM tem transformado a minha vida todos os dias, contribuindo nos meus treinamentos, na minha alta performance e me trazendo de volta a alta performance, depois de alguns meses passando por algumas dificuldades no esporte. O PARAPROLIM trouxe a Dayane do alto rendimento de volta – diz a atleta.

Apesar de ter se tornado oficialmente o PARAPROLIM em 2021, o esporte paralímpico já era presente no CEFAN – Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, na Penha – desde 2015, quando foi autorizado o aumento da quantidade de paratletas a treinarem no Centro.

– Na época, eram somente dois e desde então o número vem crescendo. Isso chamou a atenção do Comitê Paralímpico e gerou uma parceria duradoura. Nesse período, obtivemos resultados expressivos em competições nacionais e internacionais, o que proporcionou essa nova parceria com a Caixa Econômica Federal, que tem suporte financeiros das Loterias Caixa – explica o Comandante José Reis, assessor de desenvolvimento esportivo e projetos sociais do CEFAN.

Créditos imagem: ADAAN – Associação Desportiva Almirante Adalberto Nunes