A 20ª edição do maior evento de petróleo e gás da América Latina recebe, neste ano, uma apresentação do futuro Museu Marítimo do Brasil, que ficará localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ). A Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), com o apoio do Departamento Cultural do Abrigo do Marinheiro (DCAMN), participa da Rio Oil & Gas, no Píer Mauá, no Boulevard Olímpico, no centro do Rio, divulgando o novo museu. O estande da DPHDM (box 2) está localizado na área externa do Armazém 2 e pode ser visitado até o dia 29 de setembro, das 12h às 20h.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Desde o dia 26 de setembro, empresas de diversos setores e portes participam do evento. São mais de 350 marcas confirmadas expondo seus produtos e serviços. Para acessar o local é necessário adquirir ingresso por meio do site.

blank
Estande do Museu Marítimo do Brasil na Rio Oil & Gas – Imagem: Marinha do Brasil

Museu Marítimo do Brasil
Mirando em cultura, história, cidadania, acessibilidade, inclusão e sustentabilidade, o Museu Marítimo do Brasil almeja oferecer ao público um entretenimento de qualidade, integrando a cidade e o mar. Em um diálogo harmônico com o patrimônio cultural, natural e urbano da região, o museu será erguido no Espaço Cultural da Marinha, no Rio de Janeiro, reafirmando a vocação do centro da cidade para a cultura e o entretenimento. Sua criação dará maior visibilidade à história marítima, intrinsecamente ligada à formação do País e ao Poder Naval, circunscrevendo a brasilidade como identidade, além de usar a multidisciplinaridade para estimular o desenvolvimento da mentalidade marítima na sociedade.

Segundo o Diretor da DPHDM, Vice-Almirante José Carlos Mathias, o museu é motivo de grande satisfação para a Marinha por destacar o berço do País: o mar. “O Museu Marítimo do Brasil será destinado à amplitude marítima nacional, com instâncias culturais, simbólicas, religiosas, míticas, econômicas e ambientais dos mares e rios brasileiros que compõem nossa rica Amazônia Azul. Passado, presente e perspectivas futuras, vistas sob a ótica marítima”, explica ele.

Atualmente, o projeto encontra-se em sua Fase 2. Em agosto deste ano, foi aprovada no Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC) a proposta de elaboração do Projeto Executivo de Arquitetura do futuro museu, viabilizando a captação de recursos para a execução dessa nova fase. “A divulgação do museu em eventos como o Rio Oil & Gas 2022 nos auxilia para angariar investimentos que viabilizarão sua construção, bem como na coordenação e realização das diferentes etapas do projeto”, afirma o Diretor da DPHDM.

Também em agosto, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou, após realização de concorrência pública, o consórcio “Marinha, Cultura e Patrimônio” como responsável pela elaboração de estudos de viabilidade financeira e administrativa do Museu Marítimo do Brasil, na condição de projeto qualificado no Programa de Parcerias de Investimento (PPI). O consórcio é integrado pelas empresas Natureza Urbana Planejamento Integrado, Vallya Advisirs Assessoria Financeira, Maciel Rocha Sociedade de Advogados e Mare Nostrum Inteligência Corporativa.

A proposta arquitetônica preliminar, vencedora do concurso realizado em 2021, prevê a construção de dois prédios. Um deles ficará próximo ao passeio público, na vertical, e outro, no píer, na horizontal. Com cinco andares, o primeiro prédio contará com uma ampla área térrea para recepcionar o público. O local terá auditório, espaço para recepção de escolas, área administrativa e restaurante panorâmico com vista para a Baía de Guanabara. Já o segundo edifício, onde efetivamente ficará o museu, a construção sobre pilotis (térreo livre) contará com dois pavimentos, onde serão feitas as exposições.

Saiba mais sobre o Museu Marítimo do Brasil.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).