Google News

Por Lucas Vettorazzo

O consórcio Águas Azuis, formado por Embraer Defesa e a alemã ThyssenKrupp, começou a firmar contratos de construção de equipamentos que farão parte da primeira de quatro fragatas da classe Tamandaré encomendadas pela Marinha brasileira.

A sociedade entre as duas companhias saiu vencedora em processo de licitação que começou em 2017 e foi finalizado no ano passado. Uma das exigências da Marinha era que pelo menos 40% dos componentes dos navios de guerra fossem contratados no Brasil.

As quatro fragatas sairão a um custo total de cerca de 9,1 bilhões de reais. Cada navio custará em torno de 500 milhões de dólares cada. A previsão de entrega da primeira embarcação é para 2024. Existe ainda uma cláusula no contrato que permitiria a contratação de mais outras duas fragatas, algo que só será decidido mais adiante.

Segundo uma fonte do setor, o consórcio, que tem um estaleiro em Itajaí (SC), começou neste mês a contratar empresas brasileiras para a construção dos equipamentos relativos à propulsão e à casa de máquinas do navio.

Com a derrocada do setor de petróleo no país, o segmento de defesa é o que tem puxado o desenvolvimento do setor naval brasileiro.

Fonte: VEJA

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa em Foco na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui