A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia a Operação Posse Presidencial 2023. O evento de posse acontecerá em Brasília (DF), no dia 1º de janeiro, e a operação abrangerá a adoção de procedimentos de policiamento e fiscalização nas rodovias federais por todo o país, especialmente naquelas que ligam as demais regiões à capital federal.

A posse presidencial é o nome dado ao conjunto de cerimônias que oficializam a posse do presidente eleito de um país. O sistema de segurança da Posse Presidencial de 2023 está sendo coordenado pelo Comando Militar do Planalto – CMP – e o Gabinete de Segurança Institucional – GSI. Dentro desta estrutura, várias instituições compõem esse sistema integrado, tais como: Força Aérea Brasileira, Marinha do Brasil, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria de Segurança Pública do DF, Polícia Federal, Polícia Legislativa, dentre outras. Tal estrutura, deve-se ao número estimado de chefes de Estado que irão comparecer ao evento presidencial em tela, bem como ao extenso número de visitantes que se deslocarão à capital federal para participar da cerimônia.

Ao longo das posses presidenciais, a Polícia Rodoviária Federal vem se destacando e assumindo o protagonismo dentro do sistema de segurança do evento. Nesse contexto, a PRF atuará na Operação Posse Presidencial 2023, planejando e desenvolvendo ações interdependentes de Policiamento e Fiscalização Nacionais; de Policiamento e Fiscalização nas rodovias federais do Distrito Federal e Entorno e de Policiamento e Segurança de Dignitários no Evento Posse Presidencial.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A PRF ficará responsável pela Coordenação Geral da Central de Escoltas a serem realizadas para todos os chefes de Estado e dignitários com essa prerrogativa. Nesse sentido, o órgão irá organizar, preparar e executar escolta com batedores de autoridades, garantindo os deslocamentos e a presença destes no evento oficial da posse presidencial. Para tanto, o órgão utilizará a sua expertise a serviço da plena segurança dos presentes, utilizando-se de seu efetivo especializado em motociclismo.

Além disso, a Polícia Rodoviária Federal será responsável por garantir o direito ir e vir nas rodovias federais, a circulação segura dos usuários, a fluidez no trânsito e o combate aos mais diversos crimes. Por isso, além da cerimônia, concentrada na Capital Federal, serão desenvolvidas ações de policiamento em todo país, com o intuito de evitar qualquer interrupção do fluxo de veículos nas rodovias e estradas federais. Estarão à disposição pela PRF, a Divisão de Operações Aéreas, para o monitoramento das áreas do evento, o grupamento de Choque, que permanecerá em alerta às possíveis manifestações e bloqueios, bem como o setor de Inteligência, que atuará no acompanhamento e levantamento de informações para a prevenção de tais bloqueios, interdições e quaisquer irregularidades nas rodovias federais.

A cerimônia de abertura da operação foi realizada na Sede Nacional da PRF, em Brasília (DF), nesta terça-feira (27). Estavam presentes no evento o Diretor-Geral Substituto da PRF, inspetor Marco Antônio Territo de Barros, o Diretor de Operações, inspetor Djairlon Henrique Moura, o Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação, inspetor Fábio Williams de Sousa, o Diretor de Inteligência, inspetor Luis Carlos Reischak Junior, o Coordenador-Geral de Combate ao Crime, inspetor Márcio José Azevedo dos Santos, o Chefe do Serviço de Motociclismo Policial, inspetor Ederson Buzetti Tamanini, o Superintendente Substituto da PRF no Distrito Federal, inspetor Wanderley Marcos Rodrigues da Silva e o indicado à Direção-Geral do órgão para o próximo governo, inspetor Antônio Fernando Oliveira, entre outros policiais e servidores.