No dia 10 de abril, um grupo composto por 11 Guardas-Marinha e 77 Marinheiros-Recrutas do Núcleo de Formação de Reservistas Navais (NFRN), vinculado ao Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande (GptFNRG), participou de um tiro de familiarização. Esta atividade ocorreu na Linha de Tiro do 9º Batalhão de Infantaria Motorizado, situado na cidade de Pelotas, RS, marcando uma fase crucial na formação desses militares.

Detalhes do Treinamento

blank
Alunos do NFRN durante tiro de familiarização

Durante a sessão, os alunos tiveram a oportunidade de praticar tiros com fuzis de calibre 7.62 mm e pistolas 9mm, armamentos padrão utilizados pelas forças armadas brasileiras. O treinamento foi meticulosamente planejado para instruir os participantes sobre técnicas seguras e eficazes de manuseio de armas, abrangendo aspectos como posicionamento, manejo, respiração e precisão de tiro. Essas habilidades são fundamentais para garantir a eficiência e a segurança dos militares em futuras operações.

Experiência com Ração Alternativa de Combate

Um aspecto interessante do treinamento foi a introdução à Ração Alternativa de Combate, consumida pelos militares durante a atividade. Esta foi a primeira vez que os alunos experimentaram o alimento típico das situações de combate, preparando-os para realidades operacionais onde a nutrição adequada é crucial, mas as condições são desafiadoras.

Objetivo e Importância do Exercício

O exercício de tiro é parte integrante do currículo de formação dos reservistas navais, visando não apenas familiarizá-los com o equipamento militar, mas também prepará-los psicológica e fisicamente para os desafios das futuras missões. Este treinamento específico tem como meta assegurar que todos os militares possam operar com confiança e competência, aspectos vitais para o sucesso das operações de defesa e segurança do país.

Compromisso com a Capacitação Militar

A Marinha do Brasil e o GptFNRG reiteram seu compromisso com a formação de alto calibre dos futuros membros da força, sublinhando a importância de tais iniciativas para manter a prontidão e a eficácia do serviço militar brasileiro. Através de treinamentos como este, a Marinha assegura a continuidade da excelência e da tradição na defesa nacional.

Prontidão e Eficiência

Ao final do treinamento, os futuros militares saíram mais preparados para enfrentar os desafios que encontrarão em suas carreiras nas forças armadas. A experiência adquirida não apenas fortalece suas habilidades técnicas, mas também reforça o compromisso da Marinha em fornecer uma formação abrangente, que aborda todos os aspectos necessários para uma atuação eficiente e segura.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).