A Polícia do Exército realizou, pela primeira vez na 5ª Divisão de Exército, uma instrução sobre odorologia forense para aprimorar o treinamento dos condutores e dos cães de detecção de narcóticos. A perita judicial Jackline Rachel Franciosi ministrou o treinamento para militares que atuam nas seções de cães de guerra.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A atividade realizada nas instalações do Forte do Pinheirinho é importante para possibilitar ao condutor entender como os odores se comportam nos ambientes. De acordo com a perita, entender como o odor de interesse forense se comporta é essencial para colaborar com o cão no momento de identificar ilícitos que não são perceptíveis ao olho nu.

Durante a atividade prática, os animais foram avaliados em situações adversas, identificando resíduos de narcóticos deixados como vestígios. Já no ambiente fechado, os cães tiveram que identificar em qual cadeira estava o vestígio da pessoa.

O médico veterinário da 5ª Cia PE, Segundo-Tenente Leonardo Stelle, destacou que o treinamento trouxe um conhecimento acadêmico mais aprofundado aos militares. Os condutores dos cães de guerra puderam ter acesso ao conhecimento acadêmico e perceber que o estudo do cão vai muito além. Estes cães são empregados na faixa de fronteira e em instalações militares, podendo identificar o odor deixado pelo entorpecente.

No total, 32 militares participaram da atividade, oriundos da 5ª Cia PE, 20º BIB, 5º B Sup, Polícia Aeronáutica e Polícia de Choque. Os cães de guerra são empregados em operações na faixa de fronteira. O treinamento ajuda a manter a capacitação dos militares e dos cães, para que estejam sempre preparados para atuar na identificação de ilícitos em qualquer ambiente.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).