Há setenta e três anos, em 17 de março de 1948, foi criada a Organização Marítima Internacional, a IMO.

Agência Especializada da Organização das Nações Unidas, ela tem como propósito principal elaborar Normas internacionais sobre diversos assuntos.

Ao longo destes anos, a IMO tem crescido, se adaptado às novas tecnologias, aumentando seu número de membros e incrementando a produção de novas Normas.

Como a maioria de nosso comércio exterior utiliza este meio de transporte, a participação efetiva do Brasil na elaboração destas Normas tem sido uma preocupação constante.

A fim de contribuir para tal, a MB mantém uma estrutura permanente, chefiada pelo EMA, da qual fazem parte a DGN e a DPC.

Esta estrutura tem como propósito permitir que os diversos segmentos da economia brasileira, que de alguma forma dependam do transporte marítimo, tenham os seus interesses devidamente representados na IMO.

Fonte: Marinha do Brasil

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui