A Marinha do Brasil (MB), alinhada às diretrizes globais estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ampliar o acesso e a participação feminina na ciência, celebra significativos avanços na integração de mulheres em suas fileiras científicas e tecnológicas. Em um momento histórico marcado pelo Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, a Marinha evidencia não apenas o crescimento numérico, mas a fundamental contribuição feminina nos campos de pesquisa e desenvolvimento.

Rompendo Barreiras e Estabelecendo Marcos

A UNESCO aponta que mulheres representam menos de 30% dos pesquisadores ao redor do mundo, uma estatística que reflete as barreiras ainda existentes para a plena representatividade feminina, especialmente nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM). Contrariando essa tendência, a MB vem registrando um aumento expressivo no número de mulheres ocupando cargos de liderança e excelência como pesquisadoras, com destacada atuação em projetos inovadores.

Histórias de Sucesso e Dedicação

A Terceiro-Sargento (Química) Dayana Muniz Maia Montalvão, com atuação no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM) em Arraial do Cabo (RJ), é um exemplo inspirador dessa mudança de paradigma. Com uma trajetória marcada por dedicação e sucesso acadêmico, Dayana representa a nova geração de mulheres na ciência, que não apenas ingressam em áreas antes dominadas por homens, mas também contribuem significativamente para o avanço da pesquisa marinha e biotecnológica no Brasil.

Da Manutenção à Direção: Um Caminho de Liderança

Outro exemplo emblemático é o da Capitão de Mar e Guerra Engenheira Naval (EN) Carla de Sousa Martins, cuja carreira na Marinha foi pavimentada com pioneirismo e excelência. Sua trajetória desde a graduação em Engenharia Elétrica até a prestigiosa posição de Diretora do Instituto de Pesquisas da Marinha demonstra não apenas a evolução pessoal e profissional, mas também o reconhecimento da MB pela competência e liderança feminina em áreas estratégicas.

Mulheres em Programas Estratégicos: O Futuro é Agora

Além dos institutos de pesquisa, a participação feminina se estende aos programas estratégicos da Força, como o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), onde mulheres, a exemplo da Capitão de Fragata (EN) Luciana Veríssimo da Silva Duarte, assumem papéis cruciais no desenvolvimento tecnológico e na inovação defensiva. Tal envolvimento reforça a importância da diversidade de gênero nas equipes técnicas e na tomada de decisões, enriquecendo as soluções e abordagens nos projetos de alta complexidade.