Neste mês, foi publicada, no site da Organização Hidrográfica Internacional (OHI), a versão em língua portuguesa do documento utilizado para nortear e promover a padronização no processo de denominação de formas/feições do relevo submarino ao redor do mundo (Publicação B6). A tradução inglês-português dessa publicação para os países de língua portuguesa foi realizada por meio de uma parceria entre a Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) e o Instituto Hidrográfico (IH) da Marinha de Portugal.
A Publicação B6 estabelece diretrizes para que qualquer pessoa – pesquisadores, estudantes, profissionais – elabore propostas de nomes para feições localizadas em regiões além do Mar Territorial de um estado costeiro, como cânions, montes submarinos e platôs.
Os nomes de formas/feições do relevo submarino propostos são submetidos à avaliação do Subcomitê de Nomenclatura de Feições Submarinas (SCUFN) da General Bathymetric Chart of the Oceans (GEBCO) e, após aprovados, são inseridos no Gazetteer de Nomes de Feições Submarinas da GEBCO, em que cerca de 4.500 formas/feições do relevo submarino aprovadas pelo Subcomitê podem ser observadas em um mapa interativo, no qual é possível pesquisar, visualizar e fazer o download. https://www.ngdc.noaa.gov/gazetteer/
A partir desse trabalho, fruto do esforço conjunto entre Brasil e Portugal, a DHN espera incentivar as instituições nacionais e cientistas (hidrógrafos, geólogos, geofísicos, biólogos marinhos, oceanógrafos, entre outros) inseridos em assuntos relacionados às ciências do mar a enviarem propostas de nomes de formas/feições do relevo submarino que estejam localizadas ao longo da Margem Continental Brasileira, colaborando para a difusão da Mentalidade Marítima na sociedade, bem como para a expansão do conhecimento e valorização do espaço marítimo que compõe a Amazônia Azul.
A publicação B6 apresenta versões anteriores disponíveis em 6 idiomas. Para acessar a nova versão em Português, acesse https://iho.int/en/bathymetric-publications.