Depois de 10 dias, foi encerrada a Operação Conjunta Ágata Oeste, conduzida pelo Ministério da Defesa e realizada pela Marinha do Brasil (MB), Exército Brasileiro (EB) e Força Aérea Brasileira (FAB), com a participação de diversos órgãos de segurança pública e de fiscalização (OSPF) federais e estaduais. As ações do Comando Conjunto Oeste foram conduzidas pelo Comando Militar do Oeste.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

De 18 a 27 de julho, a MB atuou com o emprego dos navios Monitor Parnaíba, Navio-Transporte “Paraguassu”, Navio de Apoio Logístico Fluvial “Potengi”, Navio-Transporte Fluvial “Almirante Leverger”, Navios-Patrulha “Penedo” e “Poti”, seis Lanchas de Operações Ribeirinhas, sete embarcações de casco rígido, duas lanchas de apoio, duas aeronaves e 534 militares. Os navios percorreram, no total, 3.754 km nos rios Guaporé, Paraguai e Paraná, nos Estados de Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS) e Paraná (PR), em ações de Patrulha, Patrulhamento e Inspeção Naval.

Foram fiscalizadas 533 embarcações, notificadas 64 e apreendidas 11. Em terra, Fuzileiros Navais percorreram 3.992 km para a realização de ações de Posto de Bloqueio e Controle de Estradas, com emprego de cães de guerra, resultando em 636 veículos inspecionados.

blank
Posto de Bloqueio e Controle de Estrada na região do Porto da Manga, em Corumbá(MS) / Imagem: Marinha do Brasil

Em conjunto com os OSPF, foram apreendidos 1.100 kg de maconha, 1.210 kg de carne imprópria para consumo, produtos de contrabando, como cigarros e eletrônicos, e realizadas autuações por pesca ilegal, somando cerca de R$ 4 milhões em multas e materiais apreendidos. No município de Japorã-MS, na fronteira com o Paraguai, militares do Destacamento de Mergulhadores de Combate, com apoio da Polícia Federal, Polícia Militar-MS e Departamento de Fronteira (DOF), realizaram a neutralização de porto clandestino utilizado para tráfico internacional de drogas e armas.

“Consideramos que os propósitos da Operação foram plenamente alcançados. Nossos militares e meios atuaram em conjunto com os órgãos de segurança, inclusive com pessoal embarcado nos navios, somando esforços para aumentar a sensação de segurança da população da região. Esse tipo de cooperação possibilita a troca de conhecimentos e o fortalecimento de ações em prol da sociedade”, ressaltou o Comandante da Força Naval Componente, Vice-Almirante Paulo César Bittencourt Ferreira.

As ações contaram com a participação de integrantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Militar Ambiental, Agências Estaduais de Defesa Sanitária Animal e Vegetal e Delegacias de Repressão de Crimes de Fronteira.

Ações de Assistência Hospitalar 

Como parte das ações da Operação Conjunta Ágata Oeste, o Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Tenente Maximiano” realizou, de 21 a 24 de julho, atendimentos médicos e odontológicos em Porto Murtinho, no sul do MS, na fronteira com o Paraguai. Com apoio de militares do EB e da FAB, embarcados no navio, a equipe médica efetuou 408 procedimentos médicos, 720 odontológicos e distribuiu 62 kits odontológicos à população.

Durante o período, militares da área de saúde visitaram o asilo “Lar dos Idosos – São Vicente de Paula” e a Casa Lar, de Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes.

“Além dos atendimentos, o navio promoveu à população de Porto Murtinho e região, a divulgação de orientações sobre a prevenção a doenças regionais e de saúde bucal”, destacou o comandante do NAsH “Tenente Maximiano”, Capitão-Tenente Eduardo Pontual Dubeux.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).