Nos dias 6 e 7 de junho, os Oficiais Generais do Comando Militar do Nordeste (CMNE) participaram de uma intensa jornada operacional no ambiente desafiador da caatinga. Organizada pela 7ª Divisão de Exército e conduzida pelo 72º Batalhão de Infantaria de Caatinga, a atividade incluiu instruções de tiro e técnicas de sobrevivência, reforçando a capacidade de atuação dos militares nesse cenário único.

Detalhes da Jornada Operacional

Instruções de tiro no Campo de Instrução Fazenda Tanque do Ferro

blank

A jornada operacional realizada no Campo de Instrução Fazenda Tanque do Ferro foi projetada para testar e aprimorar as habilidades dos Oficiais Generais em um ambiente de treinamento rigoroso e realista. Durante as instruções de tiro, os militares puderam praticar técnicas avançadas de combate, adaptadas às condições específicas da caatinga. Este treinamento foi fundamental para assegurar que os oficiais estejam preparados para enfrentar os desafios que o terreno árido e acidentado da região nordestina apresenta.

Técnicas de sobrevivência na caatinga

Além das instruções de tiro, a jornada incluiu um módulo extensivo de técnicas de sobrevivência no ambiente de caatinga. Este treinamento abordou desde a identificação de recursos naturais, como água e alimento, até a construção de abrigos e a aplicação de primeiros socorros em situações de emergência. As condições extremas da caatinga exigem um conhecimento profundo e prático dessas técnicas, garantindo que os oficiais possam liderar e apoiar suas tropas de maneira eficaz em operações prolongadas.

Organização e participação da 7ª Divisão de Exército e da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada

A jornada operacional foi organizada pela 7ª Divisão de Exército, com apoio direto da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada e execução do 72º Batalhão de Infantaria de Caatinga. A colaboração entre essas unidades foi essencial para o sucesso da atividade, que faz parte da 3ª Reunião de Comando do CMNE. A sinergia entre as diferentes divisões e brigadas reflete a coesão e a eficácia do Exército Brasileiro em preparar suas forças para diversos cenários operacionais, especialmente os mais desafiadores.

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui