A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP, uma empresa criada especificamente para atender ao Programa Nuclear Brasileiro, alcançou um marco significativo com a conclusão do reteste de dois Cilindros 48Y para a Indústrias Nucleares do Brasil – INB. Estes cilindros são fundamentais para o armazenamento seguro de hexafluoreto de urânio (UF6), um passo crítico na produção de elementos combustíveis para as Usinas Nucleares de Angra 1 e 2.

Certificações de Alto Padrão e Processos Rigorosos

A NUCLEP se destaca por ser a única empresa no país com as certificações ASME U, U2, R, NA, NS e NPT, específicas para equipamentos estratégicos do setor nuclear. A certificação pela American Society of Mechanical Engineers (ASME) exige um processo de reteste extremamente rigoroso, realizado sob a supervisão de uma Agência de Inspeção Autorizada e um Órgão de Supervisão Técnica Independente. Este nível de rigor e precisão assegura a qualidade e a segurança dos equipamentos produzidos.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Contribuição Estratégica para o Setor Nuclear do Brasil

thumbnail image1

A entrega bem-sucedida dos Cilindros 48Y representa mais do que um feito técnico; ela reforça a importância estratégica da NUCLEP no desenvolvimento do setor nuclear brasileiro. Ao fornecer equipamentos essenciais e de alta qualidade, a NUCLEP contribui diretamente para a autossuficiência e o avanço tecnológico do Brasil na área de energia nuclear.

Impacto no Programa Nuclear Brasileiro

A produção de urânio enriquecido é um componente vital do Programa Nuclear Brasileiro, e a NUCLEP, com sua capacidade técnica e certificações, desempenha um papel crucial neste processo. O sucesso da NUCLEP na entrega desses equipamentos estratégicos assegura a continuidade e a eficiência na produção de combustível nuclear, vital para o funcionamento das usinas de Angra.

A NUCLEP, com este último feito, não só demonstra sua capacidade técnica e proficiência, mas também reafirma seu papel fundamental no fortalecimento da indústria nuclear brasileira, contribuindo para a segurança energética e o desenvolvimento tecnológico do país.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).