Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

No coração do Complexo Naval de Itaguaí, sul do Rio de Janeiro, um marco simbólico para a indústria de defesa brasileira emergiu com o lançamento do submarino Tonelero, terceira embarcação fruto da parceria entre Brasil e França. O evento, prestigiado por figuras de estado como os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Emmanuel Macron, não somente reforça os laços diplomáticos entre as nações mas também posiciona o Brasil no seleto grupo de países com domínio na construção de submarinos. Este passo monumental destaca o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (ProSub), não apenas como um projeto de defesa, mas como um vetor de inovação, geração de emprego e estímulo ao setor naval.

Inovação e Desenvolvimento Tecnológico na Indústria Naval

blank
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A cerimônia de batismo do Tonelero reflete o sucesso do ProSub em estimular a indústria naval brasileira, fomentando um ambiente rico em inovação e desenvolvimento tecnológico. A construção de um complexo naval moderno, único na América do Sul, segundo palavras de Macron, exemplifica a transferência de conhecimento e tecnologia entre os países, solidificando a base industrial de defesa brasileira. O investimento em infraestrutura não somente prepara o terreno para a fabricação de submarinos convencionais e nucleares mas também promove avanços significativos nos campos de Ciência, Tecnologia e Inovação, beneficiando setores civis e de defesa.

Impacto Econômico: Geração de Emprego e Fomento à Indústria Nacional

A previsão de geração de mais de 60 mil empregos diretos e indiretos pelo ProSub sinaliza um impacto econômico considerável, reiterando o papel estratégico de projetos de defesa no desenvolvimento socioeconômico do país. A integração de cerca de 700 empresas nacionais ao projeto não somente viabiliza a execução de uma obra de engenharia complexa e sofisticada mas também dinamiza a economia local, estimulando a alta qualificação profissional e o crescimento da arrecadação fiscal.

Soberania Marítima e Segurança Nacional Ampliadas

Além do Tonelero, o ProSub prevê entregas futuras, como o submarino Angostura e o inovador submarino brasileiro com propulsão nuclear Álvaro Alberto. Estas embarcações, equipadas com a mais avançada tecnologia em sensores, mísseis e torpedos, elevam a capacidade dissuasória da Marinha Brasileira, reforçando a segurança e a soberania nacional no litoral. A perspectiva de uma frota submarina moderna e eficaz representa um salto qualitativo na projeção de poder marítimo do Brasil, assegurando a proteção de suas águas territoriais frente a desafios geopolíticos contemporâneos.

Com info da Agencia Brasil

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).