Em uma demonstração impressionante de coordenação e habilidade naval, o Navio de Apoio Oceânico (NApOc) “Iguatemi”, juntamente com o Navio Patrulha “Guarujá”, ambos subordinados ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte (ComGptPatNavN), realizaram um exercício de reboque meticulosamente planejado, a apenas 11 quilômetros da Ilha do Mosqueiro, em Belém (PA), no dia 21 de fevereiro. Este exercício, marcado como o segundo do ano, não só serviu para adestrar as tripulações em manobras cruciais de reboque, mas também para enfatizar a importância da prontidão em operações de salvamento nas águas sob jurisdição do Comando do 4° Distrito Naval.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

ENTRE O TREINAMENTO E A REALIDADE: UMA PREPARAÇÃO ESSENCIAL

O exercício simulou a aproximação e o processo de reboque, com o NApOc “Iguatemi” observando meticulosamente o ângulo de permanência do NPa “Guarujá” para garantir uma manobra segura e eficaz. Utilizando 250 metros do dispositivo de reboque, as equipes a bordo dos dois navios foram postas à prova em um cenário que requeria não apenas conhecimento técnico, mas também um alto grau de coordenação e trabalho em equipe. Através dessa simulação, os militares puderam aprimorar suas habilidades em preparação de convés, trabalhos marinheiros e manobras entre navios, componentes fundamentais para a eficiência em situações reais de salvamento.

REAFIRMANDO A CAPACIDADE DE SALVAMENTO

A execução bem-sucedida deste exercício serve como um testemunho vivo da competência e da prontidão das forças navais brasileiras em responder a situações de emergência. Além de reforçar as habilidades operacionais dos envolvidos, a simulação sublinha a importância da constante vigilância e preparação nas águas brasileiras, especialmente nas regiões de vasta importância estratégica e econômica como é o caso da costa de Belém.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).