Foto: Divulgação

O Museu Naval recebe entre os meses de setembro e novembro uma série de palestras gratuitas, dentro dos projetos Galeota Real – Exposição na llha Fiscal (PRONAC 203489) e Uma Joia na Baía: recuperação estrutural, conservação e restauração do conjunto arquitetônico da Ilha Fiscal (PRONAC 203637).

As palestras terão como temáticas a história da Galeota Real – embarcação que serviu de transporte para a Família Real — bem como a relevância histórica da Ilha Fiscal, a vinda da corte portuguesa para o Brasil, o último baile promovido pelo império, antes da proclamação da república e seus desdobramentos, bem como temas referentes à promoção de eventos culturais, como perfil de público e leis de incentivo à cultura.

A participação nas palestras garante para cada visitante um voucher para visitar a ilha após sua reabertura gratuitamente. Todas as atividades terão certificado de participação e as inscrições estarão disponíveis no Sympla. (O link será atualizado com mais datas conforme o andamento da programação)

Localizado em um prédio centenário no centro da cidade do Rio de Janeiro, o Museu Naval tem dois andares é dividido por salas e possui, em seu acervo, modelos navais, obras de arte, canhões resgatados de navios naufragados, figuras de proa, medalhas e documentos históricos, tudo para preservar a memória naval brasileira.

A exposição de longa duração O Poder Naval na Formação do Brasil ocupa sete salas do pavimento térreo do museu e destaca a importância da marinha na história do País, abordando temas como descobrimento, colonização, invasões estrangeiras, expansão e independência, bem como apresenta informações sobre o poder naval na política nacional e na guerra no Paraguai.

No Pátio d’Armas, há um móbile com mais de 50 pássaros representando aves que sobrevoam os mares do Brasil e, no piso, em grandes vitrines, são encontrados um torpedo B-57, de 1894, e uma mina utilizada na Segunda Guerra Mundial.

No segundo andar, fica a sala de exposições temporárias, que no dia 22 de setembro irá inaugurar a exposição “Conflitos que consolidaram a independência”, em comemoração aos 200 anos dessa data. Este pavimento conta ainda com uma Sala de Ação Educativa onde são realizadas atividades de arte-educação para o público infanto-juvenil.

Na Ilha Fiscal, destacam-se o Torreão e a Ala do Cerimonial, além de exposições temporárias que relembram a participação da Marinha do Brasil no desenvolvimento econômico e social do País. Atualmente, a Ilha está fechada, passando por reformas estruturais que visam melhorar as condições de visitação. A reabertura das visitas está programada para janeiro de 2023 para todos que confirmarem presença no ciclo de palestras.

blank
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui