No coração de Belém, o 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas (2ºBtlOpRib) realizou, em 4 de junho, a cerimônia de conclusão do Curso Expedito de Operações Ribeirinhas – Turno 2024. Com aplausos e celebrações, 21 militares foram certificados após semanas intensas de treinamento, prontos para enfrentar os desafios das operações ribeirinhas na Amazônia.

Estrutura e Objetivos do Curso

O Curso Expedito de Operações Ribeirinhas (C-Exp-OpRib) é um dos treinamentos mais exigentes e prestigiados do 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas. A edição de 2024, realizada entre 19 de abril e 31 de maio, foi dividida em três fases principais: vida na selva, fundamentos de operações ribeirinhas, e planejamento e execução de operações.

blank
Instruções sobre navegação terrestre

Na primeira fase, “vida na selva”, os participantes aprenderam a sobreviver em um dos ambientes mais desafiadores do planeta. Receberam instruções detalhadas sobre primeiros socorros, técnicas de sobrevivência, e habilidades de orientação e navegação terrestre. Este período foi crucial para preparar os militares para a adaptabilidade e resistência necessárias nas operações ribeirinhas.

A segunda fase, “fundamentos de operações ribeirinhas”, focou em habilidades específicas como natação utilitária, comunicações, topografia, e o manejo de embarcações e motores. Esses treinamentos foram realizados nas diversas áreas de treinamento do 2ºBtlOpRib, localizadas em Belém, no Distrito de Outeiro, e nos municípios de Terra Alta e Benevides, no nordeste do Pará.

Na terceira e última fase, “planejamento e execução de operações”, os militares foram desafiados a aplicar todo o conhecimento adquirido em simulações realistas de operações ribeirinhas. Eles também receberam instruções sobre operações com aeronaves e planejamento de pelotão, habilidades essenciais para liderar e executar missões complexas na Amazônia Oriental.

O curso não apenas aprimora as habilidades técnicas e táticas dos militares, mas também fortalece a coesão e o espírito de equipe, preparando-os para atuar com eficiência em missões reais. A conclusão bem-sucedida do C-Exp-OpRib representa um marco significativo na carreira dos participantes, qualificando-os como operadores ribeirinhos e ampliando suas capacidades operacionais dentro das Forças Armadas.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui