Os primeiros focos de incêndios no Pantanal foram combatidos por militares lotados no Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN), em apoio ao Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS). Em 25 lançamentos, totalizando cerca de 8 mil litros de água, por cerca de seis horas, os militares controlaram incêndio às margens do Rio Paraguai, nas proximidades do Canal Tamengo.

No local, a cerca de 30 metros do Brasil, ficam barcaças de combustível abarrancadas em território boliviano. A Capitania Fluvial do Pantanal (CFPN) tomou conhecimento do caso e, devido à impossibilidade de acesso ao local por terra, acionou duas equipes compostas por militares com curso de combate a incêndio, para atuarem em conjunto com os bombeiros militares.

A ação ocorreu nos dias 9 e 10 de julho e foram empregadas embarcações da CFPN, além de aeronave do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste (EsqdHU-61). A fim de impedir que o fogo se tornasse incontrolável, o Com6ºDN acionou, na manhã de sábado (10), o EsqdHU-61 para emprego do helicóptero “Esquilo” (UH-12) para investidas com o “bambi bucket”, tipo de bolsa localizada na parte externa da aeronave. Esse equipamento transporta água até o foco de incêndio.

Com informações e fotos do 6º Distrito Naval 

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui