Após quase duas semanas de operações no mar, a UNITAS LXIII chegou ao fim hoje (22). A edição sediada no Brasil especialmente para compor as celebrações do Bicentenário da nossa Independência e da Esquadra brasileira foi marcada pela interoperabilidade dos 19 países envolvidos. A presença de marinhas e representantes dos continentes europeu, asiático e africano proporcionou mais diversidade, representatividade e possibilidade de novas interações durante o exercício. 

Para acomodar um maior número de marinhas e em atenção à necessidade de preparação conjunta em resposta às novas ameaças presentes no Atlântico, a UNITAS 2022 contou com uma unidade-tarefa voltada para a segurança marítima, com a participação de navios-patrulha e exercícios de abordagem, tiro com armamentos de curto alcance, além de combate à pirataria e prevenção à poluição ambiental. Essa novidade permitiu a participação de marinhas do entorno estratégico brasileiro, como as das Repúblicas da Namíbia e de Camarões, que estão localizadas na costa ocidental do continente africano.

Elas atravessaram pela primeira vez o oceano Atlântico, em direção ao Rio de Janeiro, onde teve início a missão que seguiu até o Espírito Santo. Como lembra o Contra-Almirante Marcelo Menezes Cardoso, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra e do Grupo-Tarefa, “a participação dos namibianos e camaroneses merece destaque. Não só pelo reconhecido esforço de atravessar o Atlântico, mas também pela seriedade, profissionalismo e esmero demonstrados desde a fase de planejamento até a execução dos exercícios no mar”.

blank
Capitânia da Marinha da Namíbia atracado na Base Naval do Rio de Janeiro antes de seguir em missão – Imagem: 3SG (ET) Cássio

Para o Capitão de Mar e Guerra Simon Kombada, comandante do Navio NS Elephant, navio capitânia da Marinha da Namíbia, participar da UNITAS teve uma importância dupla. “Em primeiro lugar, a nossa participação elevou o moral da tripulação e nos garantiu confiança. Em segundo lugar, aprimorou a proficiência tática, capacidades e maior interoperabilidade, bem como mostrou a competência que a Marinha da Namíbia pode ter ao participar de um exercício conjunto com outras marinhas”.

Além do objetivo de incrementar a interoperabilidade, a UNITAS almejava outras metas, como lembra o Contra-Almirante Cardoso ao “considerar que os principais objetivos foram alcançados,  dentre os quais o incremento do adestramento, as trocas de experiências, a identificação de oportunidades de cooperação, a confirmação da capacidade de operação conjunta em segurança e a consolidação dos laços de amizades entre as nossas marinhas”. 

Militares se preparam para o desembarque anfíbio em Itaoca (ES)  – Imagem: 3SG (FN) Albuquerque
Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui