Em um movimento proativo de prevenção e conscientização, o Núcleo de Assistência Social (NAS) do Comando do 9º Distrito Naval organizou uma palestra em 12 de março, voltada para a tripulação da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC). O evento teve como tema central “O risco dos jogos online”, onde foram discutidos os aspectos psicológicos e biológicos da adicção a jogos, bem como os perigos e impactos negativos na vida social, familiar e profissional dos indivíduos.

UM OLHAR PSICOLÓGICO SOBRE A ADICÇÃO

O foco da palestra esteve nos mecanismos de adicção gerados pela prática contínua dos jogos online, um tema de crescente preocupação dada a sua prevalência e potencial para afetar negativamente o bem-estar e a produtividade dos militares. A explanação foi conduzida por uma psicóloga do NAS, que também compartilhou estratégias eficazes para a prevenção e a reabilitação dessa condição.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA COMO FERRAMENTA DE RESTABELECIMENTO

A segunda parte da palestra foi marcada pela intervenção do Suboficial (CN) Paulo Henrique, que, por meio de sua experiência pessoal, ilustrou como a educação financeira pode ser um caminho para o restabelecimento erário e para a prevenção de endividamentos. Essa abordagem destaca a importância de habilidades financeiras como componente fundamental na manutenção da disciplina e do bem-estar dos militares e suas famílias.

INICIATIVA ESTRATÉGICA DA MARINHA

Esta palestra é parte dos esforços contínuos da Marinha, sob a direção da Diretoria de Assistência Social da Marinha (DASM), em promover o bem-estar de sua tripulação. Integrada ao Plano de Assistência Social 2021-2024 (PASM), a iniciativa visa reduzir os casos de endividamento e condutas de risco, mostrando o compromisso da instituição com a saúde mental e financeira de seu pessoal.

UM PASSO EM DIREÇÃO À RESILIÊNCIA E À CONSCIENTIZAÇÃO

Por meio dessas ações educativas, a Marinha do Brasil demonstra seu compromisso não apenas com a segurança nacional, mas também com o desenvolvimento e a proteção de seu maior ativo: o pessoal. As palestras são um passo importante em direção ao fortalecimento da resiliência dos militares frente aos desafios modernos, como a adicção digital e as dificuldades financeiras, contribuindo assim para uma força de trabalho mais saudável e informada.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).