A recente atuação da Marinha do Brasil no Espírito Santo é um poderoso testemunho do papel vital que as forças armadas desempenham em situações de crise e emergência. Durante cerca de 15 dias, equipes compostas por militares da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES) e da Escola de Aprendizes-Marinheiros do Espírito Santo (EAMES) mobilizaram-se para prestar auxílio humanitário às vítimas dos intensos temporais que devastaram a região sul do estado, com foco especial na cidade de Bom Jesus do Norte.

MOBILIZAÇÃO E AÇÃO

blank

No dia 24 de março, as equipes foram deslocadas para o sul do Espírito Santo, marcando o início da “Operação Sul Capixaba”. Utilizando um arsenal que incluía viaturas, drones, moto aquática, dois caminhões, uma embarcação de casco semi-rígido e duas balsas rígidas, a Marinha agiu rapidamente em resposta à calamidade que assolou a região, especialmente Bom Jesus do Norte. Esta cidade sofreu com um volume de chuva extraordinário, superior a 300 mm em apenas 24 horas, representando um desafio imenso para as operações de resgate e assistência.

TECNOLOGIA E HUMANIDADE

Um aspecto notável dessa operação foi a utilização de drones para o reconhecimento das áreas mais afetadas. Essa estratégia permitiu uma avaliação precisa das necessidades de apoio imediato, maximizando a eficiência das ações de socorro. Além disso, os militares se dedicaram ao transporte terrestre de pessoas e materiais, um esforço fundamental para restabelecer a normalidade nas localidades impactadas. A assistência se estendeu também aos municípios de Mimoso do Sul e Apiacá, onde os militares contribuíram significativamente para a entrega de donativos e suporte às populações carentes.

COMPROMISSO COM A NAÇÃO

Esta operação reafirma o compromisso da Marinha do Brasil não apenas com a defesa do território nacional, mas também com a salvaguarda de suas populações em momentos de desespero e necessidade. A prontidão operativa e a disposição para o suporte humanitário destacam as Forças Armadas como pilares de segurança e auxílio nas adversidades enfrentadas pela sociedade brasileira.

REFLEXÃO SOBRE O PAPEL DAS FORÇAS ARMADAS

A “Operação Sul Capixaba” lança luz sobre a importância estratégica e humanitária das forças armadas em tempos de paz. Longe dos campos de batalha, estas operações de ajuda humanitária fortalecem os laços entre militares e civis, demonstrando que a preparação e a eficácia das forças armadas podem ser decisivas não só na defesa da nação, mas também no fortalecimento da sua resiliência diante de catástrofes naturais.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).