A Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, da Marinha do Brasil, assinou um Acordo de Cooperação Técnica com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para ofertar 28 bolsas de doutorado em Ciências do Mar. O documento foi assinado no dia 28 de junho e estabelece que os projetos de pesquisa devem contribuir para a investigação científica relacionada ao uso sustentável dos recursos da Amazônia Azul. Além disso, cada proposta precisa contemplar, ao menos, um programa de pós-graduação das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que é uma forma de reduzir diferenças regionais de produção científica em Ciências do Mar nessas regiões.

Estão previstos 14 projetos de pesquisa interdisciplinares, com duração de 40 meses cada. Inclusive, quando houver previsão de coleta de dados in loco na Amazônia Azul, como suporte ao desenvolvimento de pesquisas acadêmico-científicas, há possibilidade de apoio em embarcações da Marinha, desde que apresentem um termo preliminar de viabilidade junto à Força.

blank
Secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar e Presidente da CAPES acompanhados das respectivas equipes técnicas

Para a Presidente da CAPES, Cláudia Toledo, esse acordo trará retorno ao País. “É um investimento em formação de pessoas. Os temas dos projetos envolvem soberania, sustentabilidade, tudo em torno da grande riqueza brasileira. São os recursos do mar. É uma honra para a CAPES participar desse projeto. Isso trará mudanças, desenvolvimento, aperfeiçoamento na vida dos brasileiros”, comemorou.

Para o Secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, Contra-Almirante Marco Antônio Linhares Soares, o acordo significa investimento em recursos humanos na área do mar. “Queremos formar doutores profissionais altamente qualificados nas áreas aplicadas ao mar. Para o Brasil é um privilégio ter profissionais de alto nível formados no País e patrocinados pela CAPES, e o Oceano Atlântico é inevitável para o desenvolvimento e prosperidade do Brasil e suas gerações futuras. Além disso, a Marinha sempre vai apoiá-los nas suas formações e pesquisas”, destacou.

Áreas Temáticas
Entre as áreas contempladas nos projetos estão a Sustentabilidade na Pesca Marinha e na Maricultura, Retenção e Emissão de Carbono pela Pesca Marinha; Recursos Minerais Marinhos Estratégicos; Planejamento Espacial Marinho e Gerenciamento Costeiro; Poluição Marinha, Oceanografia Observacional e Impactos e riscos na zona costeira associados às mudanças climáticas.

Os próximos passos após essa assinatura são a publicação do edital – cujo lançamento está previsto para a próxima sexta-feira, dia 1º de julho – a submissão e avaliação de propostas e a execução dos projetos.

CAPES
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior é uma fundação vinculada ao Ministério da Educação do Brasil que atua na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu em todos os estados brasileiros. Para ter mais informações, acesse o site.

Por Primeiro-Tenente (RM2-T) Luciana Santos de Almeida
Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui