A Marinha do Brasil celebra 50 anos de operações cruciais através do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte. Situada em Belém, Pará, essa força vital desempenha um papel chave no controle das vias fluviais da Amazônia, uma região de inestimável valor ambiental e estratégico para o Brasil. A história dessa unidade remonta a 1974, quando foi estabelecida para reforçar a segurança e a integridade territorial na entrada da bacia amazônica.

Capacidade operacional e missões recentes

blank
Apoio logístico a ações de fiscalização ambiental, em 2023 Imagem: Marinha do Brasil

Atualmente, o Grupamento opera com um efetivo de 440 militares e sete embarcações, incluindo Navios-Patrulha e um Navio de Apoio Oceânico, reforçando sua capacidade de realizar operações diversas. Em suas últimas missões, destacam-se a Operação “Ribeirex”, focada na manutenção das linhas de comunicação fluvial, e exercícios de minagem defensiva, vital para a proteção contra ameaças marítimas.

Contribuições para a comunidade e ação social

Triagem de pacientes durante Ação Cívico-Social no Arquipélago do Marajó, em 2023 Imagem: Marinha do Brasil

Além de sua função defensiva, o Grupamento desempenha um papel humanitário imprescindível. Através de Ações-Cívico Sociais, proporciona serviços médicos essenciais às populações ribeirinhas, com o Navio-Auxiliar “Pará” equipado para oferecer desde triagem até mamografias. O projeto do Navio de Assistência Hospitalar “Anna Nery”, prestes a ser finalizado, promete expandir ainda mais esses serviços essenciais.

Foco no socorro e no combate a crimes transfronteiriços

Resgate de tripulante de navio mercante com complicações de saúde Imagem: Marinha do Brasil

A atuação do Grupamento não se limita à assistência social. Este comando também é fundamental nas operações de socorro e salvamento na vasta área do 4º Distrito Naval e atua ativamente no combate a crimes transfronteiriços e ambientais. A Operação “Ágata Fronteira Norte”, realizada anualmente, é um exemplo da integração entre as Forças Armadas e outros órgãos federais e estaduais, mostrando a capacidade de resposta do Brasil na proteção de suas fronteiras e recursos naturais.