A Marinha do Brasil (MB) realizará mais uma instrução de tiro real no lago de Itaipu, com o objetivo de manter o alto nível de treinamento de seus militares para contrapor os delitos transfronteiriços na região de fronteira. Para essa atividade, a MB utilizará a Lancha de Operações Ribeirinhas (LopRib) São Félix do Araguaia, especialmente projetada para manobras em águas interiores e equipada com proteção balística, resistência estrutural e armamento, incluindo metralhadoras MAG .30 e MTR .50 Browning.

No entanto, essa atividade pode gerar interdições de trânsito e navegação de embarcações entre Itaipulândia-PR e São Miguel do Iguaçu-PR durante a manhã do dia 14 de março. Embora a MB tenha disponibilizado um canal de rádio para alertar sobre a ação e um telefone de emergência náutica, é importante que essas interdições sejam cuidadosamente monitoradas para garantir a segurança dos usuários do lago.

Embora o treinamento da tripulação seja importante, é necessário garantir que essas atividades não afetem negativamente a população local e os usuários do lago de Itaipu. Além disso, é importante que a MB adote medidas de segurança adequadas durante as instruções de tiro real para minimizar os riscos de acidentes ou lesões.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).