Atendimentos médicos por profissionais da Marinha do Brasil

O Comando do 6o Distrito Naval (Com6oDN), por meio do Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Tenente Maximiano”, subordinado ao Comando da Flotilha de Mato Grosso, realizou Assistência Médico-Hospitalar (ASSHOP) e Ações de Assistência Cívico-Social (ACiSo) nas comunidades ribeirinhas do Rio Paraguai, no período de 23 a 29 de novembro (Tramo Sul) e de 1º a 9 de dezembro (Tramos Norte e Sul).

Nas duas comissões, foram realizados 119 atendimentos odontológicos, 353 atendimentos médicos, entregues 6.577 medicamentos, além de doações de roupas e brinquedos para as famílias das comunidades atendidas.

Na primeira ASSHOP, embarcou, ainda, uma perita papiloscopista, a fim de realizar uma pesquisa da quantidade de indocumentados das regiões de Corumbá e fronteira, para confecção de prontuários de identificação civil, coleta de dados biográficos e biométricos, para posterior emissão de RG. As informações são necessárias para inserção no sistema automatizado de captura e busca de impressões digitais, uma vez que podem ser utilizadas no âmbito civil e criminal.

Na região do Paraguai Mirim, no Tramo Norte, a história de Luís Martins chamou a atenção da tripulação. “Ele perdeu a visão há 12 anos e educa cinco filhos na dura realidade da comunidade ribeirinha. Ele nos procurou para atendimento médico, relatando fortes dores abdominais, que prontamente foram tratadas pela equipe de saúde do navio. Nosso trabalho é sempre muito gratificante, pois além de cumprirmos nossa missão, nos deparamos com histórias como a do Senhor Luís, de exemplo e superação”, destacou o Comandante do NAsH “Tenente Maximiano”, Capitão-Tenente Marcus Vinícius Rodrigues Paulino.

O navio também realizou ações de descontaminação das áreas utilizadas, antes e após os atendimentos, por meio de militares que compõem a Equipe de Resposta de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica do Comando do 6º Distrito Naval, com o objetivo de garantir a segurança de todos.

As atividades do NAsH “Tenente Maximiano” têm como fim apoiar a população ribeirinha do Pantanal, especialmente diante do cenário de pandemia, além de mitigar os impactos causados pelos incêndios e pelo baixo nível do Rio Paraguai, o menor registrado nos últimos 50 anos. Apenas nos últimos quatro anos, foram realizadas 40 ASSHOP.

blank
Palestra sobre educação bucal para crianças

Fonte: Marinha do Brasil

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui