Imagem: Marinha do Brasil

A Marinha do Brasil inaugurou, na manhã desta sexta-feira (5), a Capitania Fluvial de Goiás (CFGO), em Goiânia. A organização militar tem o propósito de contribuir para as atividades de segurança do tráfego aquaviário, ensino profissional marítimo, salvaguarda da vida humana e prevenção da poluição hídrica oriunda de embarcações.

A capitania fica na Rua 2, no Setor Central. Conforme a corporação, a implantação da CFGO possibilitará um incremento das atividades relacionadas às atribuições da autoridade marítima no estado, como a regularização de embarcações e realização de inspeções navais.

No local também vai ser possível solicitar documentações marítimas, como a Carteira de Habilitação para conduzir embarcações e Carteira de Habilitação do Amador, que é uma habilitação certificada pelo representante da Autoridade Marítima para Segurança do Tráfego Aquaviário (DPC) para operar embarcações de esporte e/ou recreio, em caráter não profissional.

Até então, Goiás era o único estado que não possuía uma Organização Militar da Marinha permanentemente presente, apesar da atuação da Capitania Fluvial de Brasília na região e dos exercícios realizados pelo Corpo de Fuzileiros Navais de Formosa.

O atendimento será às terças, quartas e quintas-feiras, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 16h, de forma presencial, com o cumprimento de todos os protocolos de enfrentamento à Covid-19. Haverá também a possibilidade de agendar o atendimento eletronicamente quando o site da Capitania for concluído, que está previsto, conforme a marinha, para até o final de fevereiro.

A inauguração contou com a presença de autoridades. Entre elas o vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota (Cidadania), o capitão dos Portos de Goiás, capitão de fragata Divanildo Felipe Santiago; comandante de Operações Navais, almirante de esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva e do comandante do 7º Distrito Naval, vice-almirante Gilberto Santos Kerr.

blank
Inaugurada a Capitania Fluvial de Goiás da Marinha do Brasil com a presença de autoridades — Foto: Marinha/Divulgação

Fonte: G1

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui