No coração de Brasília, o Clube Naval foi palco de uma cerimônia impactante, marcada pela presença de autoridades e pela celebração do Dia da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) da Marinha. Este dia, que coincide com o aniversário do Almirante Álvaro Alberto, símbolo do desenvolvimento científico nacional, serve como lembrete do papel vital da pesquisa e inovação no fortalecimento da soberania nacional.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Homenagem ao pioneiro da tecnologia nuclear

blank
Almirante Álvaro Alberto

Almirante Álvaro Alberto, o homenageado do dia, foi um visionário que não só ajudou a fundar o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) mas também foi pioneiro nas pesquisas de energia nuclear no Brasil. A data de sua celebração foi escolhida por representar um marco de seu legado, refletindo seu compromisso com o avanço científico e tecnológico do país.

Premiação de destaque e lançamentos importantes

Entrega do Prêmio “Soberania pela Ciência” – Imagem: 3SG Coronha

Durante o evento, destacou-se a entrega do Prêmio “Soberania pela Ciência” ao Capitão de Corveta Vinícius Santos Pessanha, reconhecido por sua pesquisa avançada em oceanografia física, especificamente no enterramento de munições e minas navais em substratos marinhos. Sua obra é um exemplo brilhante do tipo de inovação que o prêmio busca incentivar. Além do prêmio, foi celebrado o lançamento da 35ª edição da revista “Pesquisa Naval”, que se dedica a divulgar os desenvolvimentos científicos alcançados pelos profissionais da Marinha.

Impacto do fomento à pesquisa na Marinha

O Almirante de Esquadra Alexandre Rabello de Faria, Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, ressaltou a importância dessas iniciativas para o estímulo à pesquisa. Segundo ele, o prêmio e a revista são ferramentas essenciais para promover a ciência e tecnologia dentro e fora da corporação, contribuindo significativamente para o desenvolvimento nacional. O enfoque estratégico da Marinha em ciência e tecnologia visa não apenas aprimorar as capacidades defensivas do Brasil, mas também a sustentar seu crescimento como potência científica e tecnológica global.

Marcelo Barros, com informações da Agência Marinha
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).