Entre 25 de abril e 9 de maio, a Marinha do Brasil, através do Centro de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha (CDefNBQRMB), participou do 55º Teste de Proficiência da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), um evento significativo realizado pela primeira vez no Laboratório Fixo de Análises Químicas (LFAQ) da instituição.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Papel da OPAQ e Importância do Teste

blank
Cromatógrafo a gás é acoplado ao Espectrômetro de massas

A OPAQ, entidade internacional encarregada de verificar o cumprimento das obrigações estipuladas pela Convenção para Proibição de Armas Químicas, designa laboratórios ao redor do mundo para análises especializadas de amostras suspeitas de contaminação por agentes químicos. A participação em testes de proficiência é um dos critérios para que um laboratório seja reconhecido internacionalmente como referência pela organização.

Aprimoramento e Reconhecimento do LFAQ

A participação do LFAQ neste programa não apenas sublinha o compromisso do Brasil com as normas internacionais de controle de armas químicas, mas também destaca o aprimoramento das capacidades analíticas do laboratório. Este desenvolvimento promove benefícios tanto no âmbito civil quanto militar, contribuindo significativamente para o avanço científico e tecnológico na área de defesa NBQR.

Benefícios Civis e Militares

A experiência adquirida e a validação internacional do LFAQ ampliam a capacidade da Marinha em oferecer suporte qualificado não só às operações militares, mas também à sociedade civil e à comunidade científica. Este apoio é crucial em casos de desastres químicos, ambientais ou outros incidentes que requerem análise especializada rápida e confiável.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).