Neste sábado, 02 de Dezembro, a população de Maceió terá uma oportunidade singular de conhecer de perto a Corveta “Caboclo”, um navio de guerra pertencente à Marinha do Brasil. Subordinada ao Comando do 2º Distrito Naval e sediada em Salvador-BA, a corveta estará aberta à visitação pública no Porto de Maceió, das 09h às 16h, sem custo algum para os visitantes.

Missões de Grande Importância Nacional e Internacional

corveta caboclo em missao de apoio ao radiofarol

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Corveta “Caboclo” tem desempenhado um papel crucial em missões de apoio logístico e de patrulha. Desde o dia 13 de novembro, o navio realiza uma viagem com o objetivo de apoiar o Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade e realizar a Patrulha Naval na Zona Econômica Exclusiva. Essas ações são fundamentais para garantir a soberania brasileira na Amazônia Azul, uma área de grande importância estratégica para o país.

Despertando Sentimentos de Cidadania e Patriotismo

A visita à Corveta “Caboclo” é mais do que uma oportunidade de conhecer uma embarcação militar; é um convite para que os cidadãos brasileiros despertem sentimentos de cidadania e patriotismo. Através dessa experiência, a Marinha do Brasil busca aproximar a população das atividades navais e fortalecer o vínculo entre os cidadãos e as Forças Armadas.

Importância da Visitação para a Comunidade Local

publico conheceu detalhes sobre o funcionamento do navio

A iniciativa de abrir a Corveta “Caboclo” para visitação pública reflete o compromisso da Marinha em educar e envolver a comunidade nas questões de defesa e segurança nacional. É uma oportunidade para pessoas de todas as idades aprenderem mais sobre o papel da Marinha na proteção das fronteiras marítimas do Brasil e na preservação dos recursos marinhos do país.

Histórico e Características

A Corveta “Caboclo” é o quarto navio da Marinha do Brasil a ostentar tal nome. Foi incorporada à Marinha do Brasil em 16 de julho de 1955. As Corvetas classe Imperial Marinheiro  foram construídas pelo estaleiro Bodews Schepswer N.V., Martenshoek, Holanda. Entre os anos de 2006 e 2008 foi submetida a uma grande revitalização, realizada na Base Naval de Aratu, consagrando-se, hoje, o Navio mais antigo navegando em águas salgadas da Amazônia Azul.

Atualmente, a Corveta “Caboclo” integra o Grupamento de Patrulha Naval do Leste tem como missão a realização de operação de Socorro e Salvamento Marítimos, patrulha Naval, Minagem e Reboque e outras que lhe forem atribuídas.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).