A Marinha do Brasil, em um movimento proativo e estratégico, ativou hoje, 19 de dezembro, o Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais. Este grupamento foi estabelecido especificamente para oferecer suporte à Defesa Civil em situações de desastres naturais.

Missão e Capacidade do Grupamento

Snapinsta.app 412186937 397532072611286 3732004311366594647 n 1080

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais é uma unidade especializada, treinada e equipada para responder rapidamente em casos de emergências e catástrofes naturais. Sua missão é fornecer apoio logístico, técnico e humanitário, contribuindo significativamente para os esforços de resgate, assistência às vítimas e recuperação das áreas afetadas.

Colaboração com a Defesa Civil

A ativação dessa unidade reflete uma estreita colaboração entre a Marinha do Brasil e as agências de Defesa Civil. Tal sinergia é crucial para garantir uma resposta rápida e eficaz em momentos críticos, maximizando os recursos disponíveis e coordenando esforços de socorro.

Importância Estratégica da Iniciativa

Snapinsta.app 412014242 2348023605384903 2926343899022508884 n 1080

A iniciativa sublinha a responsabilidade da Marinha do Brasil na garantia da segurança e bem-estar da população, especialmente em situações de vulnerabilidade causadas por desastres naturais. A presença de um grupamento operativo específico para esses cenários destaca o compromisso da Marinha com a preparação e capacidade de resposta a emergências.

Prontidão e Capacidade de Resposta

O Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais representa um passo significativo no aprimoramento da prontidão e capacidade de resposta do país a desastres naturais, reforçando a posição da Marinha do Brasil como uma força vital na gestão de crises e no apoio à população brasileira em tempos de necessidade.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).