No último sábado, 4 de maio, a Marinha do Brasil (MB) desempenhou um papel crucial durante o espetáculo da renomada cantora Madonna na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Através da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro (CPRJ), a Marinha mobilizou militares e recursos náuticos para garantir a segurança da navegação, a salvaguarda da vida humana no mar e a prevenção de poluição hídrica durante o evento.

Medidas Preventivas e Fiscalização

blank
Dias antes do evento, a Capitania divulgou vários comunicados com orientações sobre a segurança da navegação. Imagem: Marinha do Brasil

Antes e durante o show, a CPRJ executou uma série de ações preventivas para assegurar que nenhum incidente marítimo ocorresse. Entre meio-dia de sábado e 4 horas da manhã de domingo, foi estabelecida uma interdição do tráfego aquaviário ao longo da orla de Copacabana, do Leme ao Posto 5. O perímetro foi delimitado com boias para manter as embarcações autorizadas a uma distância segura de pelo menos 200 metros da praia.

Vistorias e Controles Rigorosos

Durante o evento, foram realizadas vistorias em diversas localidades, incluindo a própria Capitania dos Portos, a Marina da Glória e o Clube Naval Charitas, em Niterói. Os condutores de embarcações tiveram suas habilitações verificadas e foram submetidos a testes do bafômetro. Além disso, o material de salvatagem e a lotação das embarcações foram rigorosamente inspecionados, garantindo a conformidade com as normas de segurança.

Impacto e Relevância da Ação da CPRJ

YouTube video

A atuação proativa da Capitania dos Portos não só preveniu acidentes, como também destacou a importância da Autoridade Marítima na proteção da vida e na promoção da segurança nas águas brasileiras. O Capitão de Mar e Guerra Luciano Calixto de Almeida Junior, capitão dos portos do Rio de Janeiro, ressaltou a relevância deste trabalho para a sociedade e para o desenvolvimento regional, enfatizando a capacidade da Marinha em contribuir significativamente para eventos de grande escala.