No dia 8 de janeiro, foi realizada, na área de estágios do Centro de Instrução Paraquedista General Penha Brasil, a cerimônia de marcação de capacetes do primeiro turno de 2021 (turno 21/1) do curso básico paraquedista, evento que representa o início do curso.

A turma iniciou com 119 militares do Exército Brasileiro, sendo três oficiais e 116 sargentos, sendo a maioria oriunda das escolas de formação militar. Desse universo, o segmento feminino conta com uma oficial e sete sargentos.

Durante o curso básico paraquedista, os candidatos passarão por uma intensa preparação física, operacional e técnica a fim de habilitá-los a abandonar uma aeronave militar em pleno voo.

Na “Semana Zero”, período que antecedeu o início do curso, a escola de paraquedistas adotou medidas de prevenção à Covid-19 e à rabdomiólise, com a realização de exames e recomendações sobre hidratação, além da oferta de palestras sobre nutrição para todos os candidatos ao curso.

blank

Fonte: Centro de Instrução Paraquedista
Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui