Na pitoresca região de Cabo Frio, no litoral do Rio de Janeiro, uma demonstração de tecnologia brasileira cortou os céus. A Fragata “Liberal” lançou o quinto Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP), representando um marco significativo na indústria de defesa brasileira.

Um Salto Tecnológico para a Defesa Brasileira

Snapinsta.app 361067454 149148201529214 7660659732812276828 n 1080

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O objetivo principal do programa MANSUP é desenvolver e produzir no Brasil este tipo específico de armamento, com tecnologia 100% nacional. O país se destaca, assim, no cenário internacional de defesa, já que o desenvolvimento interno deste tipo de tecnologia é algo que apenas uma parcela restrita de nações consegue realizar. Com a realização bem-sucedida deste lançamento, o Brasil demonstra não apenas sua capacidade técnica, mas também a autonomia no setor de defesa.

O MANSUP: Um Projeto Estratégico

Atualmente, o projeto MANSUP encontra-se na fase de produção de um lote piloto. Este lote servirá para a qualificação funcional do míssil em voo, uma etapa crucial do processo de desenvolvimento que vai testar e validar a eficácia do armamento em condições reais. A transição para essa etapa mostra a maturidade do programa e o compromisso do Brasil com o avanço de suas capacidades de defesa.

Perspectivas Futuras

O sucesso do MANSUP traz uma série de implicações positivas para o Brasil. Além de demonstrar a capacidade técnica do país, este projeto estratégico contribui para a soberania nacional, permitindo que o Brasil seja menos dependente de fornecedores estrangeiros para este tipo de tecnologia. Adicionalmente, o programa MANSUP promove o desenvolvimento da indústria nacional, criando empregos e estimulando a inovação no setor de defesa.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).