Kaspersky Revela Uso de Função Oculta em iPhones para Espionagem

blank

blank

Uma descoberta alarmante feita pela Kaspersky lança novas preocupações sobre a segurança dos iPhones da Apple. Em junho de 2023, a Kaspersky alertou sobre crackers que estavam usando uma função secreta no hardware dos iPhones para espionar os usuários. A investigação detalhada, divulgada agora, expõe a profundidade e a sofisticação desta brecha de segurança.

Função Oculta no Hardware do iPhone

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Segundo a Kaspersky, os crackers exploraram um recurso escondido no hardware dos iPhones, desconhecido até mesmo para muitos especialistas em tecnologia. Esta função, que se acredita ter sido destinada a testes ou depuração por engenheiros da Apple, foi habilmente manipulada para fins de espionagem.

Resposta da Apple

A Apple já corrigiu a vulnerabilidade após o alerta da Kaspersky. Essa ação rápida é um lembrete do desafio contínuo enfrentado pelas empresas de tecnologia na proteção de seus dispositivos contra ameaças cibernéticas emergentes.

Complexidade da Invasão

Os crackers utilizaram uma cadeia complexa de exploits, aproveitando-se de quatro vulnerabilidades de dia zero nos sistemas da Apple. A sofisticação desta abordagem evidencia a capacidade técnica dos atacantes e a necessidade de vigilância constante no campo da cibersegurança.

Origem e Responsáveis pela Invasão

Os detalhes sobre como os crackers descobriram a existência dessa função secreta e quem está por trás dessas invasões ainda não foram revelados. Esta incerteza sublinha a natureza enigmática e o desafio de rastrear os responsáveis por ataques cibernéticos de alto nível.

Fonte: DCiber.org

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).