O Rio de Janeiro foi palco da Abertura do Ano Cultural 2024, uma iniciativa liderada pelo Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, General de Exército Richard Fernandez Nunes, no dia 23 de fevereiro. O evento, sediado no Museu Histórico do Exército/Forte de Copacabana, marcou o compromisso contínuo do Exército Brasileiro com a preservação e divulgação de sua rica história e valores culturais.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Um Encontro de Valorização e Memória

blank

Organizada pela Diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHCEx), a cerimônia reuniu notáveis autoridades civis e militares, enfatizando a importância da cultura e da história na constituição da identidade da Força Terrestre. O General Nunes ressaltou a missão da DPHCEx em cultivar e disseminar os valores do Exército, afirmando que “seja na guerra ou na paz, o Exército é feito de gente decente, de bem e que não foge à luta”.

Enriquecimento Cultural através da Arte

A palestra de abertura foi ministrada por Dr. Vinicius Mariano de Carvalho, professor honorário do Instituto das Américas da University College London, que abordou a temática “A arte produzida pelos pracinhas”, oferecendo uma perspectiva única sobre a contribuição artística dos soldados brasileiros. Este momento de reflexão destacou o papel da arte como uma expressão profunda dos sentimentos e experiências vividas pelos militares em combate.

Música como Pilar de União

A noite culminou com a apresentação da Orquestra Violões do Forte de Copacabana e Shalom, proporcionando aos presentes uma experiência musical memorável que reflete a sinergia entre a cultura militar e a sociedade civil. A orquestra, composta por jovens talentosos, simboliza o poder da música em unir diferentes gerações e comunidades, reforçando o papel do Exército como um agente de promoção cultural.

Um Ano de Cultura e Inspiração

A Abertura do Ano Cultural 2024 não foi apenas uma celebração da história e dos valores do Exército Brasileiro, mas também uma demonstração do seu papel ativo no cenário cultural do país. As atividades e projetos anunciados prometem enriquecer o ano com momentos de aprendizado, reflexão e apreciação artística, estreitando ainda mais os laços entre as Forças Armadas e a sociedade. O evento reafirma o compromisso do Exército com a preservação do patrimônio histórico e cultural, inspirando a próxima geração a valorizar e perpetuar esse legado.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).