Simulação de abordagem no MV “Andala” da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe

O Grupo-Tarefa (GT) da “Guinex-II” realizou exercícios e adestramentos combinados com a Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, entre os dias 9 e 12 de julho. O GT é composto pela Fragata “União”, uma aeronave UH-12 e um destacamento de Mergulhadores de Combate, todos da Marinha do Brasil.

Os treinamentos realizados tiveram foco principal em técnicas de abordagem. Para isso, foram realizados adestramentos teóricos que culminaram na simulação prática de abordagem por duas equipes da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, uma abordando a Fragata “União” e outra partindo do navio brasileiro para abordar o MV Andala. Ambos os eventos foram supervisionados pela equipe de abordagem do GT.

Além dos exercícios operativos, houve uma cerimônia com a entrega de cerca de quatro toneladas de material transportado pela Fragata “União” para São Tomé, presidida pelo embaixador do Brasil no país, com a presença de autoridades locais; a participação de uma representação do GT na missa em ação de graças pelos 47 anos de independência de São Tomé e Príncipe; a realização de salvas de canhão na cerimônia oficial do dia 12 de Julho; o embarque de 11 militares da Guarda Costeira que tiveram parte de sua formação ocorrida no Brasil e o atendimento médico e dentário de membros da família naval residentes na ilha.

blank
Equipes de abordagem de São Tomé e Príncipe e do Brasil realizam adestramento

No Atlântico Sul, ações de pirataria têm se concentrado na margem africana, em regiões como o Golfo da Guiné, que faz parte do entorno estratégico brasileiro. Tais ações demandam um Poder Naval forte e maior participação e cooperação do Brasil nessa região marítima, por intermédio da valorização da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS) como instrumento de política externa para fortalecer a dissuasão estratégica.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui