O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) participou do lançamento do Cluster Brasileiro de Inteligência Artificial para Navios. A iniciativa reúne representantes do Governo Federal, academia, empresas marítimas e lideranças industriais. A ideia é que uma plataforma sem fins lucrativos promova o intercâmbio de empresas e instituições para o desenvolvimento da Inteligência Artificial no setor marítimo nacional.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Outros objetivos da iniciativa são alavancar projetos e soluções tecnológicas, atrair investimentos, reunir núcleos de pesquisa que já atuam na área e sinalizar ao mercado nacional e internacional que o país aposta na Inteligência Artificial. O cluster também atuará junto ao Poder Legislativo para aprovar mudanças legais que impulsionem o setor.

Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, a Inteligência Artificial está presente no Brasil em diferentes ramos como a agricultura, nanotecnologia, biotecnologia, indústria de transformação e aeronáutica.

Entre as tecnologias possibilitadas pela Inteligência Artificial no setor naval estão navios e submarinos autônomos, que utilizam simuladores de navegação e modelos matemáticos para funcionar.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).