Na esplêndida noite de 15 de dezembro de 2023, a Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, foi palco do Prêmio Brasil Olímpico 2023, onde a Marinha do Brasil brilhou intensamente. Com o lema “Da glória para a história”, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) homenageou 12 atletas da Marinha, reconhecendo-os como os melhores de suas modalidades neste ano. Este prestigiado evento também celebrou o desempenho fenomenal do Brasil no Pan-Americano de Santiago, onde o país conquistou um recorde de 205 medalhas.

Desfile de Campeões da Marinha

foto1 atletas
Atletas e autoridades militares com o Presidente do COB, Paulo Wanderley

Entre os laureados da Marinha estiveram nomes como Ana Marcela Cunha (Águas Abertas), Beatriz Ferreira (Boxe), e Guilherme Costa (Natação), demonstrando a versatilidade e o alto nível do esporte militar. Embora alguns atletas, como Beatriz Ferreira e Ana Marcela, não puderam estar presentes, o destaque foi para Alison dos Santos, que, mesmo à distância, recebeu o Prêmio Retorno do Ano e expressou sua gratidão e foco nas Olimpíadas de 2024 em Paris.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Reconhecimento Além da Marinha

O evento também destacou atletas de outras forças armadas, como o Sargento Marcus D’Almeida, da Força Aérea Brasileira (FAB), que foi honrado com o Troféu Rei Pelé, de melhor atleta do ano no masculino. Flávia Saraiva, também da FAB, foi escolhida pelo público como Atleta da Torcida, destacando a conexão emocional entre os atletas militares e o povo brasileiro.

O Impacto do Programa Olímpico da Marinha (PROLIM)

foto2 atletas
Laura Miccuci e Gabriela Regly (Nado Artístico) levaram prêmios para casa

Os atletas da Marinha conquistaram 49 medalhas no Pan-Americano 2023, evidenciando o sucesso do PROLIM, que visa transformar o Brasil em uma potência olímpica. A contribuição dos atletas militares foi fundamental para o Brasil, com 99 das 205 medalhas conquistadas no evento, provando a eficácia do investimento no esporte militar.

Diversidade e Excelência no Esporte

Os atletas militares se destacaram em diversas modalidades, com uma contribuição impressionante na natação, atletismo, boxe, judô, taekwondo e wrestling. Este sucesso reflete não apenas o talento individual, mas também a estrutura e o apoio fornecidos pelas Forças Armadas Brasileiras ao desenvolvimento do esporte no país.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).