Capa criada pelo Antônio Vieira, inspirado no universo dos quadrinhos

A escola de samba Paraíso do Tuiuti, celebrando 71 anos de fundação, escolheu um enredo poderoso e simbólico para o Carnaval de 2024: “Glória ao Almirante Negro!”. Esta homenagem a João Cândido, um emblemático marinheiro brasileiro, promete ser uma narrativa épica que enaltece a luta contra a opressão e a busca pela dignidade humana. João Cândido, conhecido como o Almirante Negro, foi um personagem central na luta contra os maus-tratos e as desumanas condições enfrentadas por marinheiros no início do século XX.

A Arte em Movimento

A essência do enredo será capturada pelo talento do carnavalesco Jack Vasconcelos, que retorna ao Tuiuti para dar vida à história de João Cândido. A identidade visual do enredo, criada pelo designer e ilustrador Antônio Vieira, é inspirada no universo das histórias em quadrinhos, oferecendo um olhar contemporâneo e artístico sobre a trajetória do Almirante Negro. A logo do enredo, uma capa de HQ, simboliza a luta e o heroísmo de João Cândido, unindo a tradição do Carnaval com a arte gráfica moderna.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Resgate Histórico e Emoção Familiar

imagem materia 1
João Cândido foi líder da Revolta da Chibata, ocorrida no Rio de Janeiro, em 1910
Reprodução/Pref. de São João de Meriti

O enredo não é apenas uma homenagem artística, mas também um resgate da história e da memória de João Cândido, que viveu no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, onde seus descendentes residem até hoje. O filho caçula de João, Adalberto Cândido, conhecido como Seu Candinho, expressou grande emoção e gratidão pela homenagem da escola de samba. A presença confirmada dos familiares no desfile promete agregar um valor emocional incomparável ao espetáculo.

Expectativas para o Desfile

Com esse enredo, o Paraíso do Tuiuti se posiciona não apenas para oferecer um espetáculo visual e musical impactante, mas também para trazer uma mensagem poderosa de resistência, liberdade e homenagem às raízes afro-brasileiras. A escola, que já alcançou o vice-campeonato em 2018 com um enredo crítico, promete uma apresentação memorável que ressoará com força na Marquês de Sapucaí, celebrando um verdadeiro herói do povo brasileiro.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).