Em razão das fortes chuvas que atingiram o Estado de Pernambuco, as Forças Armadas seguem prestando apoio à Defesa Civil desde 28 de maio e até 16 de junho. Até o momento, os militares já distribuíram 3 mil cestas básicas, 10,3 mil quentinhas e cerca de 100 mil litros de água potável.

Balanco_Final_Operacao_PERNAMBUCO_1920x1080_2.png

A ação oportuna das Forças Armadas resulta do intenso treinamento realizado para manter seu alto nível de pronta-resposta e, assim, atender às expectativas e à defesa dos interesses da sociedade.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Resgate e transporte – Além da distribuição das cestas básicas e de água potável, os militares ainda auxiliaram no resgate e transporte de, aproximadamente, 5 mil pessoas atingidas pelo desastre. As tropas também realizaram a desobstrução e a limpeza de dezenas de vias.

IMG-20220615-WA0026.jpg

Cerca de 600 militares contribuem com a operação em ações simultâneas nas áreas afetadas. Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe foram os municípios mais prejudicados e foco do apoio na busca, salvamento, ajuda humanitária e restabelecimento dos serviços essenciais.

As Forças Armadas utilizaram mais de 30 caminhões no trabalho de desobstrução de vias, transporte de água e auxílio na limpeza dos locais atingidos. Também foram utilizados dois botes e uma voadeira para transporte de gêneros de primeira necessidade e de vítimas localizadas em áreas de risco para locais seguros.

IMG-20220615-WA0028.jpg

Desastre – Desde 25 de maio, fortes chuvas atingiram o estado de Pernambuco. O fenômeno provocou centenas de pontos com deslizamento de barreiras, transbordamento de rios e canais, impactando de maneira severa vários municípios.

A situação gerou a decretação de estado de emergência em 24 deles: Abreu e Lima, Aliança, Araçoiaba, Bom Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Glória de Goitá, Goiana, Igarassu, Jaboatão dos Guararapes, Limoeiro, Macaparana, Moreno, Nazaré da Mata, Olinda, Passira, Paudalho, Paulista, Recife, São José da Coroa Grande, São Lourenço da Mata, São Vicente Ferrer, Timbaúba e Vicência.

Por Mariana Alvarenga
Fotos: Comando de Operações Navais

Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).