Farol Ilha do Francês após a restauração

Militares da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES) realizaram, entre os dias 7 a 16 de julho, restaurações no farol localizado na Ilha do Francês, no município de Itapemirim (ES).

Durante a obra, foram restaurados o portão de acesso ao farol, a cúpula, a balaustrada e as arestas da estrutura, bem como foi efetuada a troca da bateria e da célula fotovoltaica que integram o sistema de energia solar, além da limpeza do terreno.

blank
Farol Ilha do Francês antes da restauração

O farol do Francês possui 12 metros de altura, estando localizado a cerca de 2 milhas náuticas de Itaoca, em Itapemirim (ES). Inaugurado em 1730, o farol serviu de esconderijo para os Franceses, antes de tentativas de invasão naquela região, sendo hoje utilizado para sinalizar a ilha do Francês e auxiliar a navegação de cabotagem.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui