A Marinha do Brasil, por meio de sua Flotilha de Mato Grosso, embarcou em uma missão notável junto a pesquisadores nacionais e internacionais, rumo ao Pantanal. Este projeto, intitulado “Navio” (Navegando para Vigilância Viral em Lugares Longínquos), visa coletar dados cruciais sobre saúde pública e o impacto das mudanças climáticas nas comunidades ribeirinhas.

Coleta de Dados Vitais

foto2 projeto vigilancia pantanal

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A bordo de três embarcações – o Navio-Transporte Fluvial “Paraguassu”, o Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano” e o Navio de Apoio Logístico Fluvial “Potengi” –, cientistas e profissionais de saúde se dedicam à coleta de dados epidemiológicos e climáticos. Essas informações são fundamentais para compreender os patógenos virais que afetam as comunidades ribeirinhas, integrando dados genéticos e climáticos para prever surtos e melhorar as medidas preventivas.

Impacto da Rota Bioceânica

O projeto também se antecipa aos efeitos da futura Rota Bioceânica, um corredor rodoviário que conectará o Atlântico ao Pacífico, afetando diretamente o fluxo de pessoas e veículos na região. A parceria entre a Marinha e o projeto reflete um esforço conjunto significativo, visando não apenas à saúde das comunidades ribeirinhas, mas também à sua qualidade de vida, em face das mudanças iminentes.

Assistência Médica e Parcerias Estratégicas

foto1 projeto vigilancia pantanal

Além da pesquisa, a iniciativa contempla atendimento médico, odontológico e laboratorial aos moradores locais, uma ação conjunta de várias instituições, como o Ministério da Saúde, Fiocruz, OPAS, entre outras. Essa colaboração multidisciplinar é um exemplo da eficácia da tríplice hélice, unindo forças armadas, indústria e academia em prol do desenvolvimento sustentável e da saúde pública.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).