blank

Google News

Sorriso estampado no rosto, essa é a marca do ex-combatente da 2ª Guerra Mundial, Agostinho Gonçalves da Mota. A alegria tomou conta do veterano da Força Expedicionária Brasileira nesta sexta-feira, 6 de maio, durante homenagem do Comando Militar do Oeste na véspera de completar 97 anos de vida. Em frente à sua residência, uma surpresa para comemorar o aniversário e agradecer quem tanto fez por nossa Nação.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

Sentado ao lado do filho, da neta e dos amigos, o pracinha, como são conhecidos os militares que combateram na Segunda Guerra Mundial, assistiu à apresentação da banda de música da Base de Administração e Apoio do Comando Militar do Oeste, que executou a Canção do Expedicionário, o tradicional Parabéns a Você e a canção Lilli Marlene. Emocionado, Agostinho retribuiu com continências, beijos, e, claro, muitos sorrisos.

Das mãos do Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Oeste, General de Brigada Jayro Rocha Júnior, o ex-combatente recebeu a medalha Exército Brasileiro, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à Instituição.

“Todo o agradecimento e reconhecimento da Força pelos feitos do senhor nos campos da Itália. Parabéns e muito obrigado”, agradeceu o General Jayro.

Ao lado do veterano, sua neta Bianca Oliveira Mota demonstrou muito amor e carinho pelo avô herói. “É muito bom ver o Exército dando todo esse carinho para ele e para a gente da família. Ele é o orgulho do nosso País. Ele é o meu orgulho”.

O filho do ex-combatente, Willian Felício da Mota, também fez questão de falar com todos que estavam presentes durante a homenagem. “Ele sempre foi alegre e nunca foi ausente em nada. Trabalhou muito pelos pracinhas”, explicou.

Quem também fez questão de prestigiar o aniversariante foi a filha de um amigo muito especial. Eliza Cunha Martins trouxe, no coração, o carinho do grande amigo de Agostinho, Eduardo Celestino Martins, ex-combatente da FEB, falecido em 1994, aos 77 anos de idade.

“Meu pai, meu herói, que saudade dele. Estou relembrando tantas histórias hoje. Ele foi para a guerra com o Agostinho e os dois se tornaram grandes amigos. Como eu gostaria que meu pai estivesse aqui hoje”, disse emocionada.

Ao veterano Agostinho, ao veterano Eduardo Celestino e a todos os pracinhas que tanto fizeram pelo nosso país, todo nosso respeito e agradecimento. “Eles são exemplos de abnegação, de dedicação, de força, o exemplo da força brasileira,” encerrou o Chefe do Estado-Maior do CMO.

A trajetória de um herói

Antes da sua participação na Força Expedicionária Brasileira, Agostinho Gonçalves da Mota serviu no então 18º Batalhão de Caçadores, em Campo Grande, por três meses. Logo em seguida, foi transferido para Três Lagoas (MS), local do seu nascimento, como integrante do 33º Batalhão de Caçadores e, de lá, seguiu para a guerra.

Agostinho da Mota participou da Segunda Guerra Mundial junto com o 11º Regimento de Infantaria, de São João Del Rei (MG). Lutou ativamente em diversas batalhas decisivas para a vitória dos aliados e, desde o seu retorno ao Brasil, tem contribuído para preservar a história dos febianos no País.

Fonte: Comando Militar do Oeste