A Marinha do Brasil vivenciou um evento marcante com a visita pública aos navios da Esquadra brasileira, parte da Operação “Aspirantex“ 2024. As cidades de Cabedelo (PB), Fortaleza (CE), Natal (RN) e Recife (PE) receberam os meios navais, que abriram suas portas ao público ontem (21). Esta iniciativa ofereceu a mais de 7,5 mil pessoas a oportunidade única de conhecer de perto as embarcações e equipamentos da Marinha, fortalecendo a conexão entre as Forças Armadas e a sociedade.

Atrações e Experiências Oferecidas

visitacao galeria foto5

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Em Fortaleza, o Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico”, o maior navio de guerra do país, recebeu cerca de 2,5 mil visitantes. Eles tiveram a oportunidade de ver de perto as viaturas blindadas dos Fuzileiros Navais, helicópteros da Marinha e diversos equipamentos militares, incluindo aeronaves remotamente pilotadas e míssil de superfície. As fragatas “Independência” em Natal e “União” em Cabedelo atraíram centenas de visitantes, oferecendo acesso ao passadiço, helicópteros e armamentos. Em Recife, a Fragata “Constituição” recebeu mais de 2,6 mil pessoas, mostrando a grande atração do público pelas atividades navais.

Próximos Destinos: Salvador e Maceió

interoperabilidade entre a
Interoperabilidade entre as Forças Armadas no convoo do NAM “Atlântico”

Os navios da Esquadra, após a exitosa passagem pelos portos nordestinos, desatracam hoje (22) rumo a Salvador (BA) e Maceió (AL). Durante a navegação, treinamentos operativos de caráter estritamente militar serão realizados, demonstrando a contínua preparação e prontidão das forças navais e aeronavais brasileiras. A programação futura de visitação pública pode ser acompanhada através das mídias sociais da Marinha do Brasil, permitindo que mais cidadãos tenham a oportunidade de conhecer as atividades e o patrimônio naval do país.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).