No dia 23 de dezembro, o Comando da Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército (AD/5) coordenou atividades de destruição de engenhos falhados (granadas de artilharia e de morteiro) que se encontravam em uma área de propriedade particular, no município de Tijucas do Sul (SC). Essa área (campo de Rincão) foi cedida, em meados da década de 70, para realização de exercícios militares pelas organizações militares da 5ª Região Militar e 5ª Divisão de Exército.

As atividades de destruição foram executadas pelo 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (Curitiba – PR) e pelo 5º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado (Porto União – SC), que realizaram um reconhecimento da área e dos materiais a serem destruídos. As duas unidades finalizaram a atividade com a eliminação dos artefatos posicionados no terreno. Após o evento, a área ficou em condições de ser utilizada pelo proprietário com a segurança necessária e a proteção do meio ambiente.

Fonte: AD/5
Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui