Dados sensíveis de clientes acessíveis a funcionários brasileiros preocupam empresas

blank

De acordo com o relatório da Kaspersky, 46% dos funcionários brasileiros afirmam ter acesso a dados sigilosos de clientes cadastrados no banco de dados das empresas onde trabalham. Isso coloca o Brasil como líder na América Latina em acesso a esse tipo de informação por funcionários, representando um enorme problema.

Acesso a dados sensíveis e cultura de cibersegurança fraca

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O fácil acesso a dados pessoais sensíveis de clientes por muitos funcionários, aliado a uma cultura de cibersegurança fraca no Brasil, pode colocar as empresas em risco. Embora 90% dos entrevistados afirmem que o acesso ocorre mediante senha ou restrição, o cenário ainda é perigoso sem um sistema de cibersegurança eficiente e treinamentos adequados e frequentes para os colaboradores.

Vulnerabilidade a golpes e vazamento de dados

A exposição de dados sensíveis dos clientes e a falta de treinamento adequado podem levar a prejuízos financeiros e reputacionais para as empresas. Ransomware e vazamento de dados são algumas das consequências possíveis, especialmente com a aplicação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O estudo da Kaspersky aponta que 50% dos funcionários brasileiros afirmam que suas empresas não fornecem treinamento sobre a LGPD.

Necessidade de treinamento e conscientização

A falta de treinamento e informação adequados aumenta os riscos para as empresas, que podem sofrer ataques de cibercriminosos. A capacitação de funcionários em proteção de dados e cibersegurança é fundamental para mitigar ataques e garantir a conformidade com a LGPD, evitando multas e prejuízos à reputação.

Fonte: DCiber.org