No dia 6 de junho, a Capitania dos Portos do Rio de Janeiro (CPRJ) teve a honra de receber a visita do Comandante da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, Capitão de Mar e Guerra Armindo Pinho da Fonseca e Silva Rodrigues. Durante sua estadia, o Comandante pôde conhecer de perto a rotina operacional e administrativa de uma organização militar essencial para a segurança do tráfego aquaviário.

Cooperação Internacional e Diplomacia Naval

Importância da diplomacia naval no Poder Naval

A visita do Capitão de Mar e Guerra Armindo Rodrigues à CPRJ sublinhou a relevância da diplomacia naval como um dos pilares do Poder Naval brasileiro. Essa interação promove a troca de conhecimentos e experiências entre as nações, fortalecendo as capacidades conjuntas de segurança e defesa marítima. A diplomacia naval é fundamental para o Brasil, pois permite a construção de laços de confiança e cooperação que são essenciais para a manutenção da paz e da segurança nas águas internacionais.

Cooperação com a Zona de Paz do Atlântico Sul (ZOPACAS)

A Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS) é uma iniciativa que visa promover a segurança e a estabilidade na região do Atlântico Sul, incentivando a cooperação entre os países membros. Durante a visita, foi ressaltado como a colaboração com São Tomé e Príncipe contribui para o fortalecimento das operações conjuntas de patrulha e monitoramento das águas internacionais, prevenindo atividades ilícitas e garantindo a segurança marítima. A participação ativa do Brasil na ZOPACAS demonstra o compromisso do país com a paz regional e a segurança coletiva.

Relações com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) desempenha um papel crucial na promoção da cooperação multilateral entre suas nações membros. A visita do Comandante da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe à CPRJ reforçou os laços culturais e históricos que unem esses países, destacando a importância da língua e das tradições comuns para a construção de uma parceria sólida. A CPLP facilita o intercâmbio de informações e melhores práticas, contribuindo para o desenvolvimento de estratégias eficazes de segurança e defesa marítima, beneficiando todos os países envolvidos.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui