Embarcações participantes da Procissão Fluvial em cortejo pelo Rio São Francisco

A Capitania dos Portos de Alagoas (CPAL) e a Agência Fluvial de Penedo (AgPenedo) desempenharam um papel crucial no suporte à 140ª edição da procissão fluvial do Bom Jesus dos Navegantes, realizada no dia 14 de janeiro em Penedo, Alagoas. Este evento religioso, um marco no calendário da cidade, atraiu devotos de diversas regiões, reunindo-se ao longo da orla ribeirinha.

Orientações para Segurança Náutica

Durante a procissão, as equipes da CPAL e da AgPenedo forneceram orientações essenciais aos condutores das embarcações, enfatizando o cumprimento das Normas da Autoridade Marítima. As diretrizes incluíram a importância do uso de coletes salva-vidas, o respeito à lotação máxima das embarcações e a proibição de conduzir sob a influência de álcool. Essas medidas foram essenciais para assegurar a segurança durante a navegação no evento.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Inspeções e Monitoramento no Baixo São Francisco

A procissão foi marcada pela presença de mais de 130 embarcações, que navegaram pelo Baixo São Francisco, acompanhando a imagem do Bom Jesus dos Navegantes. Durante o trajeto, as embarcações passaram por inspeções minuciosas, garantindo que todas as normas de segurança fossem rigorosamente seguidas.

Participação das Equipes de Inspeção Naval

20240114 154843
Equipe de Inspeção Naval da AgPenedo

As equipes de Inspeção Naval da CPAL e da AgPenedo, equipadas com quatro embarcações, acompanharam de perto todo o percurso da procissão. O objetivo principal dessa ação foi promover a segurança na navegação, salvaguardar a vida humana e prevenir a poluição hídrica no rio São Francisco, popularmente conhecido como “Velho Chico”.

Contribuição para a Segurança e Tradição

A atuação da CPAL e da AgPenedo na procissão fluvial do Bom Jesus dos Navegantes demonstra o compromisso da Marinha do Brasil com a segurança náutica e o apoio a eventos culturais e religiosos tradicionais. Essa iniciativa não só assegura a proteção dos participantes, mas também preserva a rica herança cultural e religiosa da região.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).