No dia 29 de abril, uma exemplar cooperação militar foi evidenciada pelo 1º Batalhão de Polícia do Exército ao responder positivamente ao Pedido de Cooperação de Instrução (PCI) do Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro. Este evento marcou mais um passo importante na colaboração entre as diferentes forças armadas brasileiras, fortalecendo ainda mais a eficiência operacional e o intercâmbio de conhecimentos especializados.

Foco no Emprego de Cães de Guerra

blank

O PCI teve como principal foco o treinamento no emprego de cães de guerra em atividades policiais, um aspecto crucial da moderna guerra assimétrica e das operações de segurança pública. A atualização de conhecimentos neste campo é vital, dado o valor estratégico que os cães de guerra representam em diversas operações, desde o rastreamento de explosivos até o resgate e a localização de pessoas desaparecidas.

Participação e Objetivos do Treinamento

O treinamento contou com a participação ativa de 15 militares do Grupamento de Fuzileiros Navais, que se juntaram aos seus colegas do Exército para uma sessão intensiva de aprendizado e prática. Os objetivos foram claramente delineados para garantir que ambos os contingentes pudessem não apenas revisar, mas também expandir suas habilidades no manejo e na utilização tática dos cães em cenários operacionais complexos.

Importância da Cooperação Interforças

A realização deste PCI não é apenas um reflexo do compromisso contínuo com a excelência operacional, mas também uma demonstração do espírito de corpo e da integração entre as Forças Armadas do Brasil. Treinamentos como este são fundamentais para manter a prontidão operacional e para assegurar que as unidades envolvidas estejam preparadas para responder de maneira coordenada e eficaz a qualquer situação que exija o emprego de cães de guerra.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).